Qual é a tua opinião
 


Designed by:

Agostinho Chicaia detido em Kinshasa (RDC) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Terra Cabinda   
Quarta, 29 Junho 2011 07:25

                                   Agostinho Chicaia detido em Kinshasa (RDC)

Agostinho Chicaia, ex-presidente da Associação Cívica de Cabinda “Mpalabanda”, ilegalizada pelo regime do MPLA, foi detido pelos Serviços de Segurança da República Democrática do Congo no dia 20 de Junho de 2011, no aeroporto de Kinshasa, quando se encontrava em trânsito para Harare, Zimbabue.

Alega-se que a detenção foi ordenada pelo Governo de Angola na base de um mandato de captura emitido por Luanda às autoridades de Kinshasa.

De salientar que Agostinho Chicaia é tido como representante de Angola, nomeado por Luanda, no projecto transfronteiriço que envolve Angola, Republica Democrática do Congo e Republica do Congo Brazzaville, com sede em Ponta Negra, onde reside há quase dois anos.

Agostinho Chicaia tem viajado para Angola e Cabinda sem quaisquer problemas; Angola tem boas relações com os regimes dos dois Congo’s (Brazzaville e Kinshasa). Então, por quê a detenção de Chicaia em Kinshasa?

O povo de Cabinda está, mais uma vez, diante de um enigma do regime de Luanda que o tempo dará a devida resposta.

 

Actualizado em Quinta, 30 Junho 2011 22:21
 

Doação

Sim, eu gostaria de ajudar a expressar a situação difícil do povo reprimido e marginalizado de Cabinda.

O Fórum Liberal para a Emancipação de Cabinda é uma organização sem fins lucrativos e apoia-se nas contribuições dos seus membros, subvenções e doações de pessoas e organizações filantrópicas amantes da paz, que entendem o jugo das populações que representamos para suportar o seu trabalho e actividades. A sua doação seria uma contribuição bem-vinda para permitir-nos de continuar assistindo as justas e pacíficas aspirações do povo de Cabinda, e promover os seus direitos humanos e o seu direito a autodeterminação, procurar uma solução não violenta para o conflito de Cabinda que afecta o povo de Cabinda e trazer a paz e a segurança para todos no território.